domingo, 30 de setembro de 2007

Mobilidade Social Igual a UM.

O filme “À procura da felicidade” (Gabriele Muccino) retrata bem uma situação de mobilidade social. Em resumo, Chris Gardner (Will Smith) sai da extrema pobreza, para o topo da distribuição de renda. Como? A partir da superação das dificuldades. Usando quais armas? A capacidade INDIVIDUAL de superar as dificuldades impostas pelo “meio social”.

Fico imaginando se este roteiro fosse escrito por um brasileiro. Teríamos, sem dúvida, todo um apelo social e a mensagem de ausência do governo. No filme de Muccino o governo aparece como um causador de “mal-estar social” (vide as multas e o imposto de renda). Deixando o sarcasmo de lado, é fato que a mobilidade social nos EUA é superior à brasileira. Ou seja, lá o indivíduo pobre tem maior capacidade de ascender socialmente. Estudos recentes classificam o Brasil como um país de baixa mobilidade, mesmo quando comparado com nações com o mesmo nível de desenvolvimento. Motivo? Um deles é a baixa escolaridade dos indivíduos e a transmissão deste “status” para os descendentes.

Confesso, não sou um fã de finais felizes, mas foi muito prazeroso ouvir a fala final:

“This part of my life...
…This little part …
Is called ‘happiness’”.

Ela é uma prova da capacidade individual de superar os limites.

Um comentário:

Chanis disse...

Mas quem fará um filme no Brasil defendendo a ausência do governo sendo que este é quem banca a atividade via renuncia fiscal? Infelizmente, cinema por aqui significa registrar em película, ainda, os guerrilheiros do regime militar. Nenhum outro período importa para a cultura brazuca fora a necrófila nostalgia da luta armada. Logo, filmes como o citado são inviáveis.

Nota: dentro do conceito abordado, veja uma comédia chamada "Obrigado por Fumar".