sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Eco e Martini

O Adolfo falou sobre alguns aspectos religiosos em seu tópico mais recente. Por isso, resolvi escrever algo. Na verdade é mais uma dica de leitura do que uma opinião.

Em 1995 iniciou-se um intenso debate em torno de questões religiosas na Itália. Esta discussão, realizada a partir de cartas abertas entre um laico, Umberto Eco, e um Cardeal do Vaticano, Carlo Maria
Martini, foi publicada no livro “Em que crêem os que não crêem?"*.

O livro é denso, tanto que em uma das cartas Martini preocupou-se com o elevado nível das discussões. Para ele, os leitores não conseguiriam acompanhar o tema em questão. A resposta de Eco foi a seguinte: “[...] não se preocupe se alguns dizem que falamos difícil: eles poderiam ter sido encorajados a pensar fácil demais pela ‘revelação' da mídia, previsível por definição. Que aprendam a pensar difícil, pois nem o mistério, nem a evidência são fáceis".

Porém, o ponto alto é a resposta de Eco ao questionamento de quais seriam os padrões éticos de um leigo, perante a descrença em uma força superior. Nela, vocês verão uma bela definição de respeito ao indivíduo.

*Eco, U., Martini, C. (2004). Em que crêem os que não crêem?. Rio de Janeiro: Record.

Nenhum comentário: