quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Ele de novo.

Leitores, não é nada pessoal, não mesmo! Porém, o Márcio Pochmann provoca. Vejam suas propostas relacionadas ao mercado de trabalho aqui.

Andreza Palma, obrigado pelo link.

3 comentários:

Chanis disse...

Repetindo o mesmo comentário que deixei no blogue do Laurini quando ele tratou do mesmo tema porque merece:

"Ainda acho que esse pessoal vai inventar um modelo relacionando a velocidade da andorinha africana com a crise do capitalismo e a santa granada de mão. Aquela famosa cena do Calice Sagrado onde contamos até três. Quatro não pode e cinco, nem pensar.

Isso é, como o proprio título explica, surreal. Nunca ouvi um argumento tão desprovido de lógica. Acho que com esse argumento, dá para provar que o camarada citado comprou a carta de motorista."

Cleiton disse...

Parei aqui:


"Seu argumento para reduzir a jornada é o acúmulo de capital pelo sistema financeiro internacional, que ele chamou de "produtividade imaterial"."

Daniella disse...

Saiu na Época, naquela parte da revista destinada as frases mais marcantes da semana (Dois Pontos), onde a declaração de Pochmann estava em destaque, juntamente com outras celebridades como Angelina Jolie e Claudia Leite:

“Não há razão técnica para alguém começar a trabalhar antes dos 25 anos de idade. Especialmente porque estamos para entrar na fase em que a expectativa de vida ultrapassará os 100 anos”.
MARCIO POCHMANN, economista e presidente do IPEA, que também defendeu uma jornada de trabalho semanal de três dias com expediente de quatro horas.
------------