domingo, 2 de dezembro de 2007

Palmas, o retorno.


Bati o record de pousos e decolagens em minha volta de Palmas – TO. Ao todo foram cinco em cada categoria. Um verdadeiro pinga-pinga: Palmas-Brasília-Belo Horizonte-Rio de Janeiro-Salvador-Natal. Porém, valeu à pena. Pude rever dois grandes amigos (Adriano Paixão e Adriano Firmino) e constatar que o Marcelo Portugal está certo: os talentos são distribuídos uniformemente ao longo do país. Tive contato com bons alunos de graduação, daqueles que, sendo bem orientados, vão longe. Quanto à orientação, eu fico tranqüilo, pois, colocando a amizade de lado, sei que os professores Paixão e Firmino desenvolvem um excelente trabalho junto ao curso de economia.

Quanto à cidade, foram dias agradáveis, inclusive com relação às temperaturas. As chuvas de lá, que não são tão freqüentes, me lembraram as chuvas do sertão. Aliás, a cidade é uma mescla de várias culturas, principalmente do Norte. Neste sentido, foi tudo uma grande novidade para mim.

Nenhum comentário: