segunda-feira, 21 de abril de 2008

Dith Pran e as idéias que quase o mataram


Fiquei sabendo da morte do Dith Pran a partir do Blog do Adolfo. Não poderia deixar de tocar no assunto aqui. Parte da história do Dith é contada no filme "Gritos do silêncio (The Killing Fields, Roland Joffé, 1984)". Pois bem, quero destacar o pensamento que originou a carnificina praticada por Pol Pot e Cia no Camboja, dado que o Dith foi uma vítima, quase fatal, dela.

Em seus estudos na França, Pol Pot (seu nome verdadeiro era Saloth Sar) conheceu as idéias marxistas. Contudo, a que mais o marcou foi: a superestrutura pode modificar a base produtiva (não vou falar sobre isso com detalhes, mas na superestrutura encontram-se a política, as leis, a religião, a ideologia, entre outras; já a base é similar ao modo de produção. Os que conhecem a obra de Marx dirão: "ele nunca afirmou isso!" Discutimos isso depois, tudo bem?)

Sob esse equívoco formaram-se as "revoluções" socialistas (engraçado é que muitas se deram onde nem existia capitalismo, vejam alguns exemplos na Africa.) Explicando: mude, à força, o regime político/econômico e assim, muda-se o modo de produzir. Com isso, sai o capitalismo, entra o comunismo. Notem que isso deu subsídio a grandes assasinos como Che Guevara, Fidel Castro, Pol Pot, entre outros.

O que quero destacar com isso? Quero apenas deixar evidente que uma idéia equivocada pode levar milhões de pessoas à morte. Logo, os pensamentos não são tão inofensivos assim. Tomemos cuidado com a onda de socialismo que assombra a América do Sul ultimamente. Tomemos cuidado com os partidos políticos brasileiros que fazem vista grossa em relação as FARC, MST e afins.

3 comentários:

tici disse...

Não há uma onda socialista na América do sul. Não a meu ver. Há a ascensão de governos aliados à esquerda, no sentido clássico do termo. O que não significa necerariamente que sejam bons.
Quanto aos pensadores, não podem ser responsabilizados pelo uso que vem a ser feito pelos seus seguidores. Imagina se Darwin poderia prever uma interpretação tão torta de sua seleção natural dando origem as teorias chamadas de darwinismo social, como o nazismo?
Gostei muito do blog! Cheguei aqui procurando pelo novo filme do Bressane, sobre o qual tenho o mesmo pensamento que você. (e preparo, aliás, um post sobre o assunto)
Grande beijo!

Cleiton disse...

Rapaz, os Marxistas argumentariam que você trocou a ordem das coisas. Na verdade, base produtiva que condiciona a superestrutura. Po, eu aprendi isso ? Putz! Preciso esquecer essas baboseiras.

Cristiano disse...

Erik, olha só que legal: um dos mentores da chapa única para a PBH é um cara que fala na maior boa vontade que o Khmer era cheio de velhinhos simpáticos e bem intencionados. O camarada disse que os conheceu durante o exílio na França. Tal defende a não matematização da economia, possui um doutorado no mesmo assunto pela Université Paris IV e, lógico, ocupa um puta cargo na PBH onde trabalha, excluisivamente, com articulação política visando fabricar e eliminar os novos inimigos nacionais: a elite paulista. Se existe a onda do socialismo na AL? Sim, porque o novo emprego dos sonhos para o brasileiro é passar em concurso público por causa da dita estabilidade e não buscar no empreendedorimo a solução dos problemas. Isso que me preocupa porque o governo atual vendeu a idéia muito bem que somente no setor público existe segurança profissional quando neste setor inexiste incentivo por causa dos lendários cargos comissionados. Afinal, no público, chefia apenas com indicação. Outro ponto perigoso é a venda da idéia de chapa única para as prefeituras como aula de democracia. Vide o caso de BH, São Luiz e Salvador. É a volta dos velhos biônicos.