segunda-feira, 12 de maio de 2008

Ajudar ou não?

Pego uma carona no comentário do Aldolfo Sachsida sobre a ajuda a Myanmar (Birmânia). De acordo com ele, não devemos ajudar a esse país, mesmo diante de uma catástrofe. A razão é simples, essa ajuda só fortalecará o seu regime ditatorial.

O post me fez lembrar do pesquisador queniano James Shikwati. Ele ficou famoso por afirmar que não devemos ajudar a Africa. Seu argumento é similar ao do Adolfo: "as doações para fins humanitários dos países ricos impedem a África de se firmar por conta própria."

Para Shikwati somente a livre concorrência poderá tirar a Africa de seu nível de pobreza. (Vejam uma entrevista com o economista aqui.)

3 comentários:

Aline Carolina Lima disse...

É realmente difícil afastar nossas razões das nossas emoções.
Na situação dramática que vive a população de Myanmar é impensável não sentir necessidade de ajudar de alguma forma, porém com toda essa política nojenta, não acredito que a população atingida venha a desfrutar da totalidade de benefícios ou ajuda dos sensibilizados.
Pelo ou menos pelo que se observa de início,é que há a resistência de Myanmar em não receber ajuda de alguns países, daí já não sei se há influências econômicas intrínsecas na decisão, e se houver não sei se é correto fingir que nada ocorreu, enquanto pessoas esperam a morte em desespero.
Aspectos econômicos versus aspectos humanitários, o que deve prevalecer professor?
Enfim...Os Estados Unidos conseguiu mais uma vez mobilizar a ONU... os ditadores vestindo capas de anjo, buscando aquilo que a cada dia destroem: DEMOCRACIA.
Só assim a ONU toma iniciativa.
"Só onde termina o Estado, começa o homem."(Nietzche)

Abraços.

Felipe disse...

Você é professor? É que eu tô fazendo um trabalho pra escola sobre isso,te achei quando pesquisava, maneira a entrevista que você linkou.
Então, será que você pode me ajudar? Volto pra saber resposta falô?

Erik Figueiredo disse...

Olá Felipe,

Em que posso te ajudar?

Escreva para o eafigueiredo@msn.com

Abraços,