sexta-feira, 6 de junho de 2008

Clint diz não às cotas

Era só o que faltava, cotas raciais no cinema. Tudo bem, sei que no Brasil há cotas de tudo quanto é tipo, inclusive relativas à exibição de filmes nacionais nos cinemas, mas a coisa está crescendo. Digo isso porque o Spike Lee criticou o Clint Eastwood por ele não incluir atores negros nos seus dois filmes de guerra, "A conquista da honra" e " Cartas de Iwo Jima". Vejam o que o Spike falou:

Clint Eastwood fez filmes sobre Iwo Jima que duram mais de quatro horas e que não mostram nenhum ator negro. Se vocês, repórteres, tivessem colhões, perguntariam a ele o por que disso


Contudo, o Clint respondeu à altura:

O que querem que eu faça? Coloque um anúncio publicitário em prol da igualdade de oportunidades? Não faço jogo, faço leitura histórica dos fatos. Quando faço um filme em que 90 por cento dos personagens são negros, como "Birdie", sobre o grande músico de jazz Charlie Parker, utilizo 90 por cento de atores negros.


bela lição, Clint.

Fonte: O Globo.

2 comentários:

Cristiano disse...

Clint não perdoa, mata! Realmente, Spike Lee não deve ter visto Bird, Absolute Power, The Unforgiven e outros. Sem contar que o novo filme do cara em fase de pré-produção é sobre apartheid na Africa do Sul.

Pergunta: pq Lee não colocou nenhuma negro no filme que ele fez como metáfora pós 11/09? O filme é o interessante A Última Noite.

Novamente, Clint não perdoa, mata. Um dos ultimos grande vivos!

Aline disse...

volteiiii!
todos os posts lidos :)
primeiramente, parabéns pelas conquistas,fico feliz de verdade por você primo.
E a vida como anda? Tudo na paz?
(você nunca responde mesmo...:p)
vou poupar seu tempo, não comentarei mais nada ok?
Abraços e saudade (de quem nunca vi).