quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Reflexão

Vou transcrever o trecho de uma palestra do Richard Feymann em 1966. O tema? O que é a ciência.

[...] Há dois dias tivemos uma conferência em que decidimos que já não temos de ensinar uma disciplina elementar de mecânica quântica na pós-graduação. Quando era estudante, nem sequer havia uma disciplina de mecânica quântica; era considerado um assunto muito difícil. Quando começei a ensinar, tínhamos uma. Agora ensinamo-la aos alunos de licenciatura [...] Por que é que isso tem sido puxado para baixo?


O fato que essas palavras mostram o avanço no ensino da ciência. A pergunta é: isso vem acontecendo na economia? Os cursos de hoje se parecem com os de ontem? Alguma disciplina elementar da pós-graduação foi trazida para a graduação?

Acredito que poucos exemplos podem ser listados.

4 comentários:

Anônimo disse...

Suspeito que se um semestre de Álgebra Linear e um semestre de Teoria dos Conjuntos permitiria que os cursos de economia tratassem de assuntos que hoje são tratados na pós-graduação, sem perda de qualidade.
Além disso, cursos de lógica de programação e de simulação forneceriam ferramentas bem úteis para a prática da profissão de economista.

Anônimo disse...

E agora liberais? Cadê o livre mercado? Ou não é hora de debater política econômica? Parece que o assunto está sendo negligenciado.

Erik Figueiredo disse...

Prezado "Anônimo"

O asunto não está sendo negligenciado, você que lê pouco. Veja dois bons exemplos:

http://bdadolfo.blogspot.com/

http://maovisivel.blogspot.com/

Espero que você consiga acompanhar o raciocínio.
Saudações,

Fábio Rodrigo disse...

Realmente uma disciplina de programação e outra de computação aplicada seriam muito úteis...os cursos de engenharia têm uma cadeira de programação no ciclo básico.. seria uma boa para os economistas...