quinta-feira, 30 de abril de 2009

Dinheiro público no %# dos outros é refresco (Parte II)

Grandes momentos de nossa classe política.

A verba social da Assembleia dos deputados da Paraíba (AQUI.).

A Dilma não diminui seu ritmo de "trabalho" (AQUI.)

P.S.: O blog apoia a campanha "Dilma, use o SUS!"

segunda-feira, 27 de abril de 2009

28 de abril

O que aconteceu neste dia?

Nasceram:

1906 - Kurt Gödel, matemático austríaco, naturalizado americano (m. 1978)

1937 - Saddam Hussein, político e estadista iraquiano (m. 2006)

1950 - Russell Alan Hulse, físico americano, ganhador do Nobel de Física em 1993

Morreu:

1945 - Benito Mussolini, jornalista e político italiano, é morto pelos partigiani. (n. 1883)

Curiosidades:

1902 - Fundação do Manchester United em Inglaterra

1928 - Fundação, no Rio de Janeiro, da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira.

1945 - Adolf Hitler casa-se com Eva Braun num bunker em Berlim

domingo, 26 de abril de 2009

Um "Câncer Benigno"


A Dilma aproveitou o momento para fazer uma pequena campanha presidencial em cima da doença. A frase:

Nós, brasileiros, somos capazes de superar obstáculos e sair inteiros do lado de lá.


soa bem aos ouvidos do povo.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Ida e volta

Estou indo e voltando para João Pessoa toda semana. Saio na segunda e retorno na quarta- ou quinta-feira. Embora eu vá no carango, me sinto um ... Ah, deixa que a música do Iggy Pop fale por mim.

P.S.: Ver (ouvir) essas bandas de rock brasileiras fazendo releituras me dá um embrulho no estômago que só não é maior do que ouvir um pronunciamento do presidente do Brasil.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Dinheiro público no %* dos outros é refresco

O post sobre o filme do Bressane vai e volta. Dessa vez recebi outro comentário anônimo (já recebi um digitado em um computador do Ministério da Cultura):

Erik e Chani, [...] comentários simplórios e pouco informados os seus. Dinheiro público para quem? Filmes que se pagam e dão retorno?? Retorno para quem?? Para os produtores que já na produção lucraram alguns milhões limpos do dinheiro público. Depois ainda ganham na bilheteria e vendas uma grana que vai para o bolso deles.


Prezado anônimo, nós não defendemos o uso do dinheiro público na produção dos filmes. Nem nos que lotam as salas de cinemas, nem para aqueles que só conseguem arrastar o departamento de sociologia para a sala escura e, depois de sair de cartaz (a partir do sistema de cotas para as produções nacionais), são colocados em um cd pirata e reproduzidos para os alunos da disciplina de sociologia II.

O dinheiro público é justamente para ser usado em obras que estimulem as faculdades intelectuais das pessoas e que de outra forma não seriam feitas, pois não são comerciais. É assim no mundo inteiro..nenhum pais sustenta a industria, pode fomentar por um tempo para criá-la, mas aqui o fomento fiscal já dura algumas décadas para a industria e segundo dito pelo próprio barretão "deveria ficar até o ano de 3018".


Lá vem mais um defensor da indústria infante. Uma coisa, o Barretão é aquele que está rodando um filme sobre Lula? Achei esquisito ele defender o fomento só até 3018. Por que não eternamente, assim como a reeleição do Chavez? Quem sabe o Barretão não produz um filme da Dilma Guerrilheira? Seria uma bela história de guerra, com muito sangue e morte. Isso sim leva o pessoal para o cinema.

Nos filmes do Julio caso vc não saiba, o dinheiro é completamente empregado nas produções, no Cleópatra mesmo ele não recebeu um único centavo por dirigí-lo. Ao contrário de outros diretores, que vc deve louvá-los, e que fazem filmes de 6 / 8 milhões de R$, já na largada embolsam 20% limpos (agenciamento e captação) + o cachê de diretor e o retorno posterior de bilheteria e DVD's...Grande negócio! para eles, pagamos e depois temos que engolir filmes que basta ligar a TV e vemos nas novelas coisas melhores!


Ora, eu não sabia. O Julio é um samaritano. Tudo ela arte, tudo pelo social. Obrigado pela informação. Quanto aos diretores que ganham milhões, bom para eles. Eles olharam para o mercado e fizeram algo que agradasse à massa. Que mal tem nisso? E você não precisa engoli-los. Não vá ao cinema, desligue a TV e leia belos livros de filosofia. Você pode! Você não é obrigado a assistir, tampouco pagar por essa baboseira. Notou a sutileza: ninguém é obrigado a pagar por lixo cultural, nem por obras super “culturais” e “inteligentes”.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Incentivos

Applied Economics Letters = Econometric Reviews = World Economy = Journal of Emerging Markets = Nova Economia (UFMG) = Economia e Sociedade (UNICAMP) = Revista Brasileira de Economia = Revista de Economia Aplicada > Journal of Macroeconomics.

Essa fórmula resume o sistema de incentivos da CAPES (Novo Qualis AQUI). A área de economia no Brasil sofre por conta da falta de penetração internacional. Pensando nisso, a CAPES desenhou esse sistema de incentivos.

%%%%%%%%
Dica do Edilean Kléber.

%%%%%%%
Comentário do Edilean

Companheiro, uma correção. Journal of Macroeconomics = Revista e Economia do Nordeste (REN) = Revista Contabilidade & Finanças = Economic Modelling (onde Granger tem publicação) = The Quarterly Review of Economics and Finance = Revista Brasileira de Energia.

terça-feira, 14 de abril de 2009

sábado, 11 de abril de 2009

Quer emagrecer?

"Quer emagrecer? Pergunte-me como." O Evo Morales deve estar usando um broche desse. O Coturno Noturno não poderia deixar de comentar:

Pela primeira vez, o Blog concorda com Fidel e Chávez, que anunciaram neste sábado terem ligado para o presidente boliviano, Evo Morales, para lhe expressar apoio à greve da fome que e o cocalero faz desde quinta-feira (9) pela aprovação da nova legislação eleitoral, necessária para a realização das eleições gerais de 6 de dezembro próximo, onde ele quer ser reeleito. O Coturno Noturno deseja que ele não coma mais e tampouco rumine folhas de coca, indo finalmente passear pelos campos eternos onde a caça é farta e onde o gás abunda. Tchau, Evito!

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Presente


Comecei a me auto-presentear. Inicio com a trilha sonora de Into the Wild, do Eddie Vedder, vocalista do Pearl Jam. A música do mês será "Rise":

Such is the way of the world
You can never know
Just where to put all your faith
And how will it grow

Gonna rise up
Bringing back holes and dark memories
Gonna rise up
Turning mistakes into gold

Such is the passage of time
Too fast to fold
And suddenly swallowed by signs
Low and behold

Gonna rise up
Find my direction magnetically
Gonna rise up
Throw down my haste in the road


quinta-feira, 9 de abril de 2009

O privado público

O novo presidente do Banco do Brasil assume com a missão de aumentar o crédito e baixar os juros. (Cá pra nós, além de promover a candidatura da Dilma). Pois bem se já não bastasse isso, os brasileiros querem um comportamento similar na inciativa privada. O Comentário da leitora do Jornal "O Globo", Lourdes Sampaio, resume bem esse sentimento:

Essas medidas deveriam ser estendidas ao setor privado. Ninguém compreende as altas taxas cobradas, tanto no cheque especial, quanto nos cartões de crédito.


Ou seja, se não compreendemos, colocamos o governo no meio. O problema é que nem o ministro da fazenda compreende.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Viva o povo brasileiro

Uma das minhas interações sociais se dá no supermercado. Faço pequenas compras quase que diariamente. Os caixas me conhecem pelo nome e eu gosto dos serviços de lá. À noite eles têm o jantar (arroz, carnes, entre outros) ou a sopa, ambos no peso. A sopa tem um preço menor. Hoje, pegando minha sopinha, percebi que um cidadão escondia boas fatias de carne e linguiça embaixo da sopa. Uma estratégia desonesta para pagar menos.

A primeira coisa que me chocou foi que ele não era branco com olhos azuis (essa raça que espalhou a crise pelo mundo). Ele era um brasileiro padrão, daqueles que não desistem nunca e que passam a perna em alguém quando podem. Talvez ele conte essa façanha no churrasco do final de semana. Seus amigos ficarão orgulhosos disso. Ora, o dono do supermercado é rico, que mal tem em roubá-lo.

Pois é, somos um povo forte, com muita melanina na pele e com olhos escuros. Não espalhamos a crise no mundo. Mas passamos a perna nos outros. Viva o povo brasileiro!

sexta-feira, 3 de abril de 2009

O Estado mínimo brasileiro

O IPEA continua produzindo evidências sobre o raquitismo do Estado brasileiro. (AQUI.)

O estudo conclui:

[...] os dados apresentados neste Comunicado revelam que há
espaço para o crescimento do estoque e da participação relativa do
emprego público no Brasil.


E continua:

O fortalecimento da Democracia, com o
consequente aumento da demanda por serviços públicos amplos e
políticas sociais universalistas, bem como a necessidade de ampliação
e melhoria da infra-estrutura urbana, são fatores que se somam para
mostrar a necessidade de ampliação do emprego público no Brasil.


Já sou funcionário público, mas eu quero mais um emprego :)

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Ser chique custa caro

Ser chique custa caro! Eu poderia morar na beira-mar, com piscina, sauna, 3 quartos, 3 vagas na garagem, entre outras coisas. Contudo, isso é proibitivo (pelo menos para mim). Eu tenho que pagar prestações, botar gasolina no carro, comer, vestir, ter plano de saúde, sair num final de semana (ninguém é de ferro), comprar meus livros ... Notem, eu não sou um cidadão comum. Pelo menos um cidadão comum brasileiro. Minha cesta de consumo tem várias coisas supérfluas.

O brasileiro padrão, não se compra livros, não tem plano de saúde privado, não paga grandes faturas no cartão de crédito, não tem carro, compra uma roupa de vez em quando, e por aí vai. Então, dadas essas informações, eu pergunto: é chique emprestar dinheiro ao FMI?

O presidente que mais falou bobagem na história de nosso país, acha que sim! (AQUI.)

Presidente, ser chique custa caro!