quinta-feira, 2 de julho de 2009

Jesus em campo

Na copa do Japão e da Coréia do Sul David Beckham jogou com camisa de mangas longas para esconder suas tatuagens. Foi uma atitude respeitosa diante das tradições orientais. Uma bela postura, mas temos alguns contrapontos.

Na Copa da Alemanha em 2006, a FIFA orientou os jogadores a não manifestarem suas religiões dentro do campo. Resultado? A cada Gol, o brasileiro Kaká apontava os dedos para o céu. Na copa das confederações deste ano, o jogador Lúcio vestiu uma camisa declarando seu amor a Jesus. Ou seja, na hora da foto da festa, saiu o símbolo da Nike e entrou o nome do filho do “homem”. [O ex-jogador Neto, quando era dirigente do Guarani, soltou uma pérola: “se o jogador do Guarani fizer um gol e levantar a camisa com o nome de Jesus; Jesus que pague o salário dele”.]

No final do ano, Flamengo e Corinthians farão um jogo na Palestina. Deixo uma pergunta: haverá alguma manifestação religiosa em campo? 100% de chances que sim.
Quando será que teremos a consciência da gravidade destas atitudes? Respondo mais uma vez: nunca!

Um comentário:

Cleiton disse...

Em tempo:

http://esporte.ig.com.br/futebol/2009/07/01/fifa+repreende+comemoracao+religiosa+do+brasil+na+africa+7068924.html

Abraços,