domingo, 20 de setembro de 2009

Reflexão

Os "Anônimos" são uma festa! Um dia desses um deles falou poucas e boas sobre eu e o Cláudio Shikida. Dois dias depois eu descobri seu nome, lattes, faculdade onde ele faz doutorado (um salve para o Planalto Central), só faltou o CPF. Agora me deparo com outro argumento anônimo, porém mais educado. A irritação surgiu de uma ironia referente ao serviço prestado pelo Banco do Brasil (sempre que falo do setor público recebo críticas pesadas).

Confesso meus argumentos não foram nada técnicos, mas o contra-argumento foi bem pior. Vejamos:

Primeiramente, tal medida de separar caixa do público que espera, foi tomada para combater o assalto conhecido como saidinha de banco, só fica no ambiente do caixa quem estiver sendo atendido.


Ok, ok, então também vamos colocar uma parede nos caixas eletrônicos?

Segundo, as letrinhas das fixas, são a denominação simplificada da transação que você foi realizar no banco, e os números refletem a ordem de atendimento (subtrai o número da sua fixa do que aparece no monitor e saberá quantos estão na sua frente).


Mas e as letrinhas? Como vou saber se tem 15 na minha frente, em minha letra, e mais 5 na outra letra e .... e... Peraí, volto a este ponto mais à frente.

Terceiro, a pessoa ao lado da tal maquininha de imprimir senha, são para orientar senhores e senhoras não dotados de conhecimento (com pouco estudo) para quem a tecnologia é algo estranho, como por exemplo, um agricultor que de estudo só sabe assinar e as contas que necessita. Isso reflete os "Brasis" que temos em uma única nação, aqueles que conta nos dedos quantas vezes foi ao banco, porque tem internet, palmtops, celulares, cartões, etc. e aqueles que têm como instrumento para ganhar a vida a enchada, a vassoura da faxina, etc., que não sabem manipular maquinas com monitores touch screens responsáveis pela impressão das fixas, mediante a opção de atendimento escolhida na tela.


Hum, verdade! Então o sistema de letrinhas não foi feito para esses agricultores? Será que eles vão entender? O cidadão do computador poderia nos servir um cafezinho, ou seria ineficiente tirá-lo do atendimento aos trabalhadores? Aliás, que tal colocar um desses caras em cada caixa eletrônico? O sindicato dos bancários iria adorar!

Assim, antes de ironias procuremos conhecer o entorno em que vivemos!Bem como, trabalhar para modificar as disparidades!


Não, não. eu como classe dominante, desconhecedor da realidade e a favor de um índice de Gini mais próximo de UM, não quero entrar nesse debate.

Bom final de semana a todos!
Boa reflexão!

P.s.: Esperamos ver publicado
Desde já agradecemos!


Obrigado! Para você também. Estou refletindo nesse momento. Aliás a cerveja está geladíssima...

5 comentários:

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk

descobriu meu lattes!! é...nossa perdendo teu tempo procurando lattes de um simples doutorando!!

Anônimo disse...

Mesmo ficando brabinho continuarei lendo teu blog e reafirmo: pesquisa econometria não paramétrica, distribuição de renda que logo, logo vc será bolsista cnpq.

Erik Figueiredo disse...

Anônimo,

não fiquei bravo não, foi só curiosidade. Obrigado por ler e comentar aqui.
[]'s

Anônimo disse...

Nada pessoal contra vc, realmente tenho que pedir desculpa pelas palavras foi um dia infeliz, resultado da lista de econometria ou das derivações do capitulo 2 do woodford não lembro.
Fato é tão verdade que sempre acompanho teu lattes, sei como anda e onde vc publicou teus papers E LEIO DIARIAMENTE teu blog

Desculpa cara!!! IGNORA MINHA ESTUPIDEZ,

ANDERSON

Erik Figueiredo disse...

Relaxa, continua por aí. Abraços,