quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Dados pra que te quero

Estava precisando de umas séries econômicas. Fui nos sites especializados e nada. A FGVDADOS possuía a informação. Porém, os dados não são gratuítos. Resolvi escrever para os amigos, mas nenhum dispunha da informação. Escrevi para um pesquisador que utilizou estas séries em um trabalho. Recebi um silêncio como resposta. Pensei: se Nelson e Plosser Não disponibilizassem seus dados, seriam bem menos citados.

Em uma última tentativa telefonei para a FGV para comprar a informação. Mas eles só vendem para pessoas jurídicas. Enfim, consegui a informação por meios não convencionais.

Moral da história: estar na periferia tem seu preço. A Universidade não nos dá condições mínimas para pesquisa. Enquanto alguns clicam em botões e baixam os dados que desejam, eu fico perdendo tempo implorando por informação.

6 comentários:

Anônimo disse...

É Erik

Esses dias tive uma idéia de fazer um paper sobre microdados para testar rigidezes de preços no Brail.Professor Jaoquim falou que somente o Bonomo tem esses dados.
Fazer pesquisa no Brasil é uma arte

Anderson

alemdascurvas.com disse...

Erik, olhando pelo lado bom, este ano tu tá menos na periferia do que ano passado!

=)

Enoch

Cibele Bastos disse...

Fazer pesquisa no Brasil é uma arte [2]

E Erik, algum palpite pra domingo em interlagos?

Erik Figueiredo disse...

Tenho, (sem torcer, rssss), dá Hamilton. Rubinho abandonará por problemas "hidráulicos" (que fique claro, gosto do Rubinho, mas detesto Massa).

Anônimo disse...

Acostumou com informação de graça , é ?
Isso custa dinheiro. Pergunta pros teus colegas americanos quanto eles pagam para ter acesso a banco de dados.
No Brasil, as torres de marfim das universidades públicas, além de custarem caro à sociedade, não produzem nada de relevante.
Temos algo errado por aqui, não acha?
Nos EUA, as universidades são caríssimas e produzem a maior parte do conhecimento que temos hoje disponíveis. Por aqui a sociedade tem que bancar a formação dos ricos e não recebm nada em troca. Não temos uma universidade sequer entre as 200 melhores do mundo.
Valha-me Deus.
Não vai dizer que o governo tem que subsidiar as tuas pesquisas que vão ficar engavetadas?

Fabio - São Paulo

Erik Figueiredo disse...

Fábio,

Não discordo de você. Note, eu queria comprar os dados, só não consegui por que não era pessoa jurídica. Não quero subsidiar minha "gaveta". Quando reclamei da universidade que não dá condições, não quis dizer que queria que ela comprasse os dados para mim. Disse apenas que os mecanismos de incentivo são falhos. Se eu estivesse em uma iniciativa privada, e meus resultados não fossem para a gaveta, eles me pagariam.

No mais, bom ter alguém que pensa perecido comigo. Seja bem vindo.

Abração,