sexta-feira, 30 de abril de 2010

Mais um, definitivo

O artigo:

Efeitos da composição domiciliar e da escala equivalente sobre as medidas de desigualdade de renda e de pobreza no Brasil

desenvolvido em parceria com meu grande amigo Jorge Mariano, foi aceito para publicação na Revista Análise Econômica.

Para que servem os DCE's e a UNE?

Esta na hora dos estudantes (os de verdade, não esses pelegos vinculados aos partidos políticos), questionarem: PARA QUE SERVEM O DCE E A UNE?

A situação é a seguinte: os defensores da chapa A tomam o DCE, pixam as paredes da universidade e destroem o patrimônio público, tudo em nome da liberdade de expressão. Os partidários do lado B, sentados em cima das verbas oriundas das carteiras de estudante, se defendem com armas de fogo e camisas de Che Guevara.

No meio do fogo cruzado estão os estudantes, principalmente os novatos, que, por causa desse embrório, estão pagando passagens inteiras.

Entendam AQUI.

Gente que mente


Uma campanha iniciada pelo Coronel. (AQUI)

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Dica de leitura

Peguei esta dica nos comentários do Blog do Adolfo:

Simonsen and the early history of the cash-in-advance approach
Author: Mauro Boianovsky
The European Journal of the History of Economic Thought, Volume 9, Issue 1 March 2002 , pages 57 - 71

The paper brings to light an early contribution to the cash-in-advance literature made by the Brazilian economist Mario Henrique Simonsen (1935-97) in an article written in Portuguese as far back as 1964. Simonsen explicitly introduced the cash-in-advance constraint as an inequality in a non-linear programming problem and provided a diagrammatic illustration of the interior and boundary solutions. He also applied the concept to the discussion of the quantity theory of money and showed that the classical dichotomy is valid for the stationary equilibrium of prices over time.
Keywords: Simonsen; Cash-IN-ADVANCE; Non-LINEAR Programming; Quantity Theory Of Money; Classical Dichotomy

Evidências

Mais uma evidência contra as privatizações:


Quando é para obter benefícios fiscais e dinheiro a fundo perdido do Tesouro Nacional, a Petrobras é uma empresa pública. Quando é para servir de encosto para turbinar o PAC, a empresa é uma estatal. Na hora de distribuir o dinheiro que lucra com o preço extorsivo da gasolina, quem ganha é o presidente petista e os seus diretores nomeados pelo partido. A Folha de São Paulo informa que a Petrobras vai pagar R$ 1,4 milhão neste ano a seus cinco diretores e ao presidente da companhia sob a forma de "bônus por desempenho". Este é o mesmo tipo de bônus que os bancos americanos cortaram, pois induziam a fraude, empurravam os diretores a cometerem falcatruas em busca de lucros imediatos para turbinar os ganhos pessoais. A remuneração é um acinte, pois foi aumentada em 29% de 2009 para 2010, apesar de toda a crise. Serão R$ 10,7 milhões em salários e benefícios para meia dúzia de petistas que comanda a empresa. Estes membros do PT estão recebendo salários de R$ 66.701 por mês. Com a "distribuição de lucros", a média mensal vai chegar em R$ 90 mil, sem contar todas as mordomias como casa, carro, comida, cartão corporativo e uma vida de marajá.

Outro 28 de abril

O que aconteceu neste dia?

Nasceram:

1906 - Kurt Gödel, matemático austríaco, naturalizado americano (m. 1978)

1937 - Saddam Hussein, político e estadista iraquiano (m. 2006)

1950 - Russell Alan Hulse, físico americano, ganhador do Nobel de Física em 1993

Morreu:

1945 - Benito Mussolini, jornalista e político italiano, é morto pelos partigiani. (n. 1883)

Curiosidades:

1902 - Fundação do Manchester United em Inglaterra

1928 - Fundação, no Rio de Janeiro, da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira.

1945 - Adolf Hitler casa-se com Eva Braun num bunker em Berlim

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Escola ministerial do PT

Mais um resultado do curso para Ministro de Estado do governo petista.

O Ministro da Saúde, José Temporão, dá seus conselhos aos hipertensos:

Além de comer cinco porções de frutas ao dia, iria propor fazer sexo cinco vezes ao dia.


Como já disse a Marta, relaxem e gozem.

Divulgando

Meu amigo Lúcio Aquino, agora estudante do mestrado em Administração da UFPB, lança um blog para debater o marketing (AQUI). Fica a dica.

domingo, 25 de abril de 2010

Pareceres

O Selva resume bem o problema de alguns pareceristas (AQUI).

Quando fui xingado por um, recentemente.
Pena que os editores concordem com isso selecionando-os e dando ouvidos às suas palavras.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Explicando

Atendendo a pedidos vou resumir um pouco da minha revolta com o processo editorial da revista EconomiA.

Submeti dois trabalhos há um ano. Depois de seis meses escrevi para a revista solicitando uma posição. Explico, o padrão das revistas nacionais é: você tem quatro meses para dar o parecer, caso isso não ocorra, o editor comunica ao autor que mudará o parecerista e estabelece um novo prazo, geralmente mais dois ou três meses.
Pois bem, minha solicitação foi respondida de uma forma aborrecida, destacando que os pareceres são um trabalho voluntário, logo, não há como cobrar, etc. A partir daí a comunicação foi ficando tensa. O editor nunca se pronunciou, eu sempre recebia respostas por meio da secretaria.

Em uma terceira rodada de desculpas, a secretária apelou para o estado de saúde do Editor, Joaquim Andrade. Eu questionei se todo o processo dependia exclusivamente dele.

Em uma quarta ou quinta rodada de desculpas, foi a vez do “problema isolado”. Ora, como isso é possível se aconteceu com dois artigos e não só com um? Ou eu sou um grande azarado, ou o processo editorial é falho. Por fim, solicitei uma data limite.
A secretária falou que o editor lamentava, mas não poderia estabelecer uma data.

Diante disso, só me restou relatar esse ato de incompetência e descaso.

terça-feira, 20 de abril de 2010

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Notícias populares

Um professor do curso de sociologia e aluno do doutorado do mesmo curso, foi preso por manter uma plantação de maconha em casa.


Professor da UFPB é preso com plantação de maconha em casa

Já dá pra imaginar o título da sua tese: O fetiche e as alucinações causadas pela "mercadoria': uma abordagem marxista.

Por isso que a nossa instituição não possui ética profissional.

Outra coisa: em breve os alunos de ciências sociais farão um protesto contra a opressão policial (capitalista e neoclássica).

sábado, 17 de abril de 2010

Vergonha

O PROGRAMA DE FOMENTO A PESQUISA EM DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO - PDE/BNDES/ANPEC possui uma condição interessante, só podem se candidatar:

Professores e pesquisadores, com titulação mínima de mestre, do quadro permanente dos Centros de Pós-graduação associados à Anpec que atendam aos seguintes requisitos:

1. sejam instituições brasileiras de ensino e pesquisa, sem fins lucrativos, que possuam classificação, pelo menos, no conceito 5 da Capes;

2. no caso de instituições que não atinjam o conceito 5 da Capes, instituições públicas brasileiras de ensino e pesquisa, sem fins lucrativos, que possuam inquestionável reputação ético-profissional na área objeto da pesquisa.


Diante disso, pergunto: o que é uma instituição com "inquestionável reputação ético-profissional"?

Por curiosidade fiz meu cadastro. Para minha surpresa, descobri que a UFPB não é uma delas. Confesso, me sinto envergonhado de trabalhar em uma instituição sem reputação ética-profissional.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Rápidas

O que significa pagar uma tarifa mais alta para ter um atendimento exclusivo no Banco do Brasil? Resposta: você terá um funcionário incompetente só para você.

Experimente pedir uma nota fiscal em qualquer loja de João Pessoa. É quase como insultar a mãe do vendedor. Ele diz, com ar de espanto: você quer uma nota grande? E eu digo: não sei o tamanho, mas quero uma nota fiscal.

Para variar, os Correios, a mais eficiente das empresas estatais, não conseguem entregar as contas na data correta. Ou melhor, antes de seus vencimentos. Se é para pegar os códigos de barra na internet, então que as empresas não enviem mais nada pelos Correios. Vamos começar uma campanha: empresas, não enviem suas correspondências pelos Correios. Já pensou? Ainda faríamos uma média com os ecologistas.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Mais um, definitivo

O artigo:

Estimation of Opportunity Inequality in Brazil using Nonparametric Local Logistic Regression

Obteve a aceitação plena no Journal of Development Studies. Mais uma parceria com o Flávio Ziegelmann. Uma boa notícia no mês de meu aniversário.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Conclusão, o país é culpado

Me lembro de um reggae, muito ruim por sinal (tem algum bom?), onde o cantor reclamava, reclamava e finalizava: "Conclusão, o país é culpado." Pois é, parece que os políticos cariocas andaram escutando o Edson Gomes.

Todos são culpados, menos eles. Culpam-se as administrações anteriores, os moradores das áreas de risco e, por fim, a chuva. O presidente Lula, que iria inaugurar um puxadinho na favela da Rocinha, cancelou a visita por conta da tragédia. Era de se esperar que ele fosse até o Rio acompanhar de perto os resgates e a recuperação da cidade. Que nada, o presidente nunca se faz presente diante de uma tragédia. Lembram-se de Santa Catarina (os loiros de olhos azuis). Lembram-se do acidente de Air France?

Na agenda do presidente temos Reuniões com o presidente do Mali, com o Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, com a Comissão de Ética (???) da Presidência da República ... Nenhuma referência aos 200 soterrados em Niteroi. (AQUI)

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Perelman

Não gosto do ELIO GASPARI, mas este texto é bacana:


EM 2008, quando Lady Gaga gravou seu primeiro álbum, já se tinham passados seis anos do dia em que Grigori Perelman resolvera a Conjectura de Poincaré, um dos maiores mistérios da matemática. Num mundo que consome celebridades, a história de Perelman merece cinco minutos de atenção.
Ele é um matemático russo, de 43 anos, já passou meses sem trocar de roupa, raramente corta as unhas, a barba ou o cabelo. Vive com a mãe em São Petersburgo, tem horror a jornalistas e viveu sete anos praticamente recluso. Nem e-mails respondia. Quando esteve nos Estados Unidos, a base de sua alimentação era pão preto e iogurte. Recusou cátedras nas universidades de Princeton, Berkeley, Stanford e no MIT. É um excêntrico, mas é um excêntrico que tem bastante a ensinar. Até que ponto vive-se melhor parecendo maluco do que deixando-se bafejar pela celebridade?
Superando ciúmes, intrigas e rivalidades, Perelman acaba de conquistar o prêmio dos "Problemas do Milênio", com direito a um cheque de US$ 1 milhão, concedido por uma fundação americana, por ter decifrado um dos sete grandes mistérios da matemática. Em 2006, ofereceram-lhe um honraria considerada equivalente a um Nobel de matemática. Recusou-a.
Para os leigos (como o signatário), a Conjectura de Poincaré é algo incompreensível. Ainda assim, pode-se perceber que Poincaré, um matemático francês que morreu em 1912, deixou para o mundo uma conjectura. Mais difícil será entender o que significa o segundo mistério: "A existência de Yang-Mills e a falha na massa".
Perelman resolveu a conjectura em 2002. Em vez de mandar seu trabalho para uma revista científica, onde um painel de estudiosos estudaria a consistência dos argumentos, simplesmente jogou os textos na internet, num arquivo público de trabalhos acadêmicos. O trabalho não dizia que a conjectura havia sido resolvida, essa tarefa cabia a quem o lesse. (Um matemático gastou três meses para entendê-lo.) A comunidade dos sábios consumiu dois anos estudando, invejando e, em alguns casos, buscando uma falha na explicação. Perda de tempo.
Quando Perelman foi convidado por Princeton, pediram-lhe um currículo. Respondeu que, se não sabiam quem ele era, não deveriam convidá-lo. Como o MIT chamou-o depois que resolveu a Conjectura de Poincaré, recusou porque deveriam tê-lo chamado antes. Num último convite podia ganhar quanto quisesse e fazer o que quisesse durante o tempo que bem entendesse. Respondeu que estava comprometido com seus alunos do ensino médio de São Petersburgo, o que nem era verdade.
Perelman ofendeu-se quando o "New York Times" disse que ele sustentava que resolvera a conjectura para ganhar US$ 1 milhão. Afinal, estudava o problema muito antes de o prêmio surgir e não sustentava coisa alguma. Decifrara a Conjectura de Poincaré, ponto.
Perelman é um matemático excêntrico e, pensando-se bem, Lady Gaga é uma roqueira quase convencional. Assim as coisas ficam fáceis e pode-se ir em paz ao próximo show. Contudo o mundo fica mais interessante quando se sabe que o negócio de Perelman é outro. Os matemáticos podem viver num mundo de liberdade e rigor absolutos. Ele escolheu uma vida de total integridade, sem concessões a coisa alguma. Ninguém manda nele, só a matemática, num diálogo que dispensa outras vozes.

Coisas da minha terra

Ex-prefeito tem duas contas reprovadas em sessão do TCE

terça-feira, 6 de abril de 2010

Tudo de novo

Todo ano é assim: as datas dos congressos são anunciadas e o pesquisador, caso seja um ingênuo como eu, se programa para cumpri-las. Resultado? Um novo prazo é anunciado visando atender aqueles que não se programaram.

Notem que a justificativa vem sempre no tom de ajudar aos que não conseguiram cumprir as metas. Justificativa errada! O objetivo é punir quem se programa. O objetivo é punir aqueles que são responsáveis.

Entrem na página da ANPEC e vejam que o Encontro da ANPEC-NE/BNB possui novo prazo. A chamada de projetos do PDE/BNDES/ANPEC 2010 também tem novo prazo. E assim vai ... A história sempre se repete.(AQUI)

Está na hora de cumprimos nossas obrigações sem a necessidade de uma "ajudinha". Está na hora de pararmos de beneficiar aqueles que não sabem cumprir um prazo.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Go Red Sox

Finalmente a temporada do beisebol norte-americano foi iniciada.
E nada melhor do que começar vencendo os NYY (AQUI)

sábado, 3 de abril de 2010

Descanso

Descanso merecido. Assisti dois filmes (invictus e precious) e o clássico Manchester Unit. e Chelsea.