sábado, 15 de maio de 2010

Cotas na Pós

Já adianto: sou contra as cotas! No caso da pós-graduação isso ainda é mais grave. Só para não me acusarem de corporativista, nunca me posicionei a favor a cota de artigos para Pós-graduações do Nordeste na ANPEC-BNB, por exemplo. Para mim, trabalho bom é trabalho bom, e ele pode ser feito em qualquer lugar, inclusive no NE.

Outro ponto que não concordo é com a cota de bolsas de produtividade e de projetos do CNPq (Edital Universal) para os professores integrantes das Universidades do Norte e Nordeste. Nunca me pautei nisso, e se ganho os editais é porque me dedico a concorrer nacionalmente. Mais uma vez: mérito é mérito! Sem cotas.

Pois bem, não é que acordo em um sábado pela manhã e me deparo com isso:

Dilma diz que, se eleita, vai implantar cotas raciais também na pós-graduação!

Qual seria o próximo passo? Acabar com o mecanismo de ranqueamento da CAPES? Aplicar o método Paulo Freire na Pós?

Acredito que se defendêssemos cotas para acéfalos, algumas pessoas conseguiriam defender as suas dissertações e as suas teses e não precisariam mais falsear os seus curriculos Lattes.

Um comentário:

Anônimo disse...

Ja existe cota de artigos para Pós-graduações do Nordeste na ANPEC-BNB? Ou esta' apenas em discussao ainda?