segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Revivendo lost city

As tentativas de "cubanização" do Brasil, acompanhadas da idiotização dos jovens (às vezes não tão jovens), me fizeram lembrar de um post que escrevi para o filme Lost City:
*****************

Assisti, finalmente, “A cidade Perdida” (Lost City, The, 2005 – Andy Garcia). O filme trata da turbulência ocorrida em Havana na transição do governo de Fulgencio Batista para a ditadura de Fidel Castro e Ernesto 'Che' Guevara. A história gira em torno de Fico Fellove (Andy Garcia), um personagem que não nutre simpatia por nenhum dos lados. Seu único desejo é manter sua família unida. Trocando em miúdos, o governo de Fidel é tão ruim quanto o de Batista. O personagem de Bill Murray dá uma boa pitada de humor à trama. Quando um “general” Revolucionário diz “Marx falou, ‘A música é o ópio do povo’”, Murray rebate: “O Groucho ou o Karl?”. A trilha sonora é maravilhosa.

No entanto, quero destacar que a mensagem que me marcou foi a da importância da liberdade. Quando o objetivo de um homem, em meio a uma revolução, é proteger, única e exclusivamente, sua família, torna-se claro que o individual supera o coletivo. Não há como ter bem-estar social sem o respeito às liberdades individuais. É uma mensagem forte para uma América Latina cheia de filhotes de ditadores.

Nenhum comentário: