segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Desigualdade de renda e Injustiça

Fechando a tradução. Disponibilizarei a primeira versão do paper no final de semana.

De imediato afirmo que a correlação entre os índices de concentração de renda e de injustiça é de -0,8636. Nesse caso, a menor concentração de renda acarreta em uma maior injustiça. Porém, os testes de dominância estocástica indicam que a queda na concentração de renda é estatisticamente significativa, mas a subida do índice de injustiça não.

Fiquem com o resumo do paper:

Resumo: Este estudo mensura a desigualdade injusta no Brasil durante o período de 1995 a 2009. Para tanto, utilizam-se o instrumental estatístico desenvolvido por Ålmas et al. (2010) e o conceito de justiça “responsibility-sensitive”, proposto por de Bossert-Fleurbaey (Bossert, 1995 and Bossert & Fleurbaey, 1996). Os resultados indicaram que o nível de injustiça brasileiro permaneceu constante ao longo do período considerado. Concluiu-se que houve uma queda expressiva na desigualdade de renda brasileira, sem alteração no nível de injustiça. Por fim, pôde-se constatar que o índice de injustiça brasileiro é, pelo menos, uma vez e meia superior aos índices calculados para as nações desenvolvidas.

Nenhum comentário: