segunda-feira, 4 de outubro de 2010

A carta dos reitores

Como professor da UFPB, gostaria de me manifestar contra a carta dos reitores. No Blog, sempre coloco minhas opiniões como pessoa física. Nunca falaria pelo meu departamento, por exemplo, sem o consentimento dos meus colegas de trabalho. Ou seja, na carta o Reitor da UFPB não fala por mim.

As razões para o meu posicionamento são diversas. Em primeiro lugar, o documento está cheio de clichês políticos. Me esforcei muito para lê-lo até o fim. Logo no primeiro parágrafo, salta aos olhos a ênfase ao "aumento orçamentário". Para os reitores o modelo de ensino superior era e continua a ser, perfeito, só faltava mais dinheiro. Dinheiro para ser desperdiçado com obras intermináveis e sem planejamento algum.

Em seguida, os magníficos fecham todo o debate acadêmico em torno das questões econômicas do Brasil, em especial sobre a distribuição da renda. Com isso eles deixam um recado direto para os pesquisadores de sua próprias instituições, inclusive: não adianta testar os impactos da abertura comercial e da estabilização de preços sobre a distribuição dos rendimentos, por exemplo. Tudo foi obra do Lula.

Por fim, ao longo da carta não se lê uma palavra relacionada a qualidade do ensino. As universidades estão inchadas e formando profissionais cada vez menos qualificados.

P.S.: Me recuso a comentar a observação de que o Brasil é um país sério.

Nenhum comentário: