quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Política no Brasil

Estas notícias mostram os grandes avanços da(os) nossa(os) política(os):

1. Interferir em coisas sem grande relevância: "Governo quer suspender comercial de lingerie com Gisele Bündchen";

2. Servir de cabide de (bons) empregos: "Ciro Gomes recebe R$ 22 mil como 'consultor' do PSB no Ceará";

3. Para se vingar dos inimigos: "Romário diz que foi traído por Ricardo Teixeira".

4. Nas horas vagas, eles sugerem mais impostos...

Dica

A Mão Visível fala sobre carga tributária e gastos públicos. Vale, e muito, a leitura.

(...) a carga tributária em 2010 foi R$ 1,3 trilhões, enquanto os gastos bateram R$ 1,2 trilhões e o PIB atingiu R$ 3,7 trilhões. Ou seja, nos 16 anos em que o PIB cresceu o equivalente a R$ 1,4 trilhões, os tributos aumentaram R$ 687 bilhões e os gastos nada menos que R$ 726 bilhões. Posto de outra forma, de cada real acrescido ao PIB brasileiro nos últimos 16 anos, o governo tributou 48 centavos (687÷1432) e gastou 51 centavos (726÷1432).

Popularidade dos Softwares

O Robert A. Muenchen fala sobre a popularidade dos softwares estatísticos:

Abstract: This page presents various ways of measuring the popularity or market share of BMDP, JMP, Minitab, R, R-PLUS, Revolution R, S-PLUS, SAS, SPSS, Stata, Statistica, and Systat, as well as two implementations of the SAS Lanugage, Carolina and WPS. I update this paper several times a year at http://r4stats.com to provide an ongoing view of the software. Recent updates include adding a brief discussion of Quora.com (9/13/2011), Stack Exchange and Stack Overflow.com (7/12/11), updating the blog counts in Table 3 (6/21/11), and replacing Fig. 6 with the latest one (5/26/11).





Estes resultados confirmam as evidências prévias: o R continua dominando as paradas de sucesso.

P.S.: Dica do professor João Ricardo.

33° SBE

Os artigos aceitos para o 33° Encontro da Sociedade Brasileira de Econometria já estão disponíveis no site: AQUI.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Dica de software

Para quem quer se aventurar no LaTeX mas tem pouco tempo ou paciência para estudar, recomendo o TeXMakerX (AQUI). Este editor possui dicionário de português, corretor ortográfico e preâmbulos embutidos.

Ficou tão fácil que em pouco tempo as crianças poderão ser alfabetizadas em TeX.

P.S.: Dica do Lauro Nogueira.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Mais um

A Economics Bulletin acaba de me enviar um parecer favorável para o artigo:

"A Note on the Measurement of Unfair Inequality in Brazil".

Foram sugeridas pequenas modificações e uma revisão de inglês.

Em tempo, meu artigo:

Desigualdade de Oportunidades no Brasil: Uma Decomposição Quantílica Contrafactual,

fruto de uma parceria com o Cleiton Roberto Silva, foi aprovado no 33º Encontro da Sociedade Brasileira de Econometria (SBE).

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

A marcha contra as marchas

Extra, extra: imagens exclusivas da multidão que protestou contra a imprensa e os corruptores no MASP, São Paulo:


Opa, desculpe, me enganei. A foto verdadeira é esta:

domingo, 18 de setembro de 2011

TD no RePec

Os textos para discussão do PPGE/UFPB estão indexados ao RePec AQUI.
Mais um belo esforço do professor Hilton.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Prestação de Contas - CNPq

Passei a tarde fechando o relatório de prestação de contas do Edital Universal do CNPq.
Quem já fez isto uma vez na vida sabe o quanto é chato.

Me refiro, especificamente, à planilha financeira. Para cada compra efetuada, você deve declarar o CNPJ do vendedor, a sua razão social, o número de cheque, o número da nota, especificação do produto e, por fim, o valor.

Olhando assim parece fácil, mas imagine que você comprou 40 livros, vários materiais de escritório, computador, impressora ... Ou seja, você pode ter mais de 50 notas fiscais.

Pra diminuir o sofrimento na hora da prestação de contas, sugiro os seguintes procedimentos:

a) use um cheque para cada nota fiscal;

b) enumere as notas de acordo com a categoria a qual elas pertencem (capital, material de consumo, etc);

c) possua saldos mensais de sua conta;

d) guarde todos os canhotos dos cheques, inclusive os não usados;

e) na compra de material permanente, em especial computadores, tenha pelo menos três orçamentos em mãos;

f) evite a contratação de serviços de pessoas físicas, e;

g) tire fotocópia de todas as notas e as guarde. Só se livre delas quando sua prestação de contas for aprovada pelo Conselho (O CNPq exige que você envie as notas originais. Portanto, elas podem sumir na mão dos Correios ou de algum burocrata do Conselho).

Isto não te livrará da digitação das informações uma a uma. Contudo, ajudará muito, não só no preenchimento, como em eventuais dores de cabeça relacionadas a não aprovação do relatório.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Textos para discussão do PPGE

O PPGE lança a série de textos para discussão. Tenho orgulho da participar do primeiro número:

Crescimento Pró-Pobre no Brasil: Uma Análise Primal e Dual no período de 1987-2007

O conceito de justiça do PT

Manchete de jornal:

Presidenta Dilma defende obra sem licitação

“Fico preocupada e tomo as medidas para defender o que consideramos que é o justo. O que fizemos em relação à obra de Guarulhos, por emergência e urgência, é muito importante. Não tomamos decisão sem avisar. Avisamos ao Tribunal de Contas da União e ao Ministério Público”. (Grifo meu)

Ou seja, o conceito de justiça utilizado é contratar uma construtora sem licitação. Anotei mais essa no meu caderno.

Fala Tavares II !

Maria da Conceição Tavares tem razão. Modelos matemáticos não servem para nada. Estou fazendo uma fogueira aqui em casa. Já estão ardendo em chamas os meus Simon & Blume, Mas-Colell, Hamilton, Romer ...

Como cheguei a esta constatação? Fiz uma pesquisa intensa e profunda nos últimos 30 segundos e descobri que, assim como destacou Tavares, o que vale é o talento. Inclusive o talento para reconhecer a eficiência de um belo plano de estabilização:



Nos primeiros dias de março de 1986, uma economista portuguesa falante e passional fez de suas lágrimas o ícone da emoção brasileira diante do Plano Cruzado, em vigor desde 28 de fevereiro. Maria da Conceição Tavares tomou a defesa do pacote econômico lançado pelo governo José Sarney em um programa de entrevistas da Rede Globo e chorou diante de milhões de brasileiros ainda confusos com a novidade. “Nunca tive motivos para me orgulhar de economistas, mas a descrença transformou-se em esperança com a formulação do plano”, disse ela, com o peito inflado, ao ver na equipe do ministro da Fazenda Dilson Funaro ex-alunos seus, como João Manoel Cardoso de Mello e Luiz Gonzaga Belluzzo.


Quem, apenas com um talentinho obtido a partir de modelos matemáticos, perceberia o sucesso da estabilização de forma tão antecipada?

Dizem as boas e plurais línguas que ela previu que o Luiz Gonzaga Belluzzo seria um excelente presidente para o Palmeiras. Visionária!

P.S.: Ninguém tem este vídeo? Não o achei no youtube.

Fala Tavares!

Parem as máquinas!!!

Deixem tudo que vocês estão fazendo e vejam este vídeo:



Nele a Maria da Conceição Tavares (para muitos ela é a maior sacanagem que os portugueses já fizeram com a gente), despeja sua sabedoria em uma mensagem para os Novos Economistas.

A maior lição é: modelos matemáticos não servem para nada. Para fazer política monetária é preciso ter talento (Entenderam? Shikida, Adolfo, Alex ...?).

Este é ou não é um blog plural? (seja lá o que isto signifique).

P.S.: Dica do professor Hélio Ramos.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Tabelas? É com nois mermo

A CBF resolveu acabar com o problema de público nos jogos dos campeonatos brasileiros das séries A, B, C e D. Visando a presença de quatro torcidas ao mesmo tempo, a Confederação resolveu marcar dois jogos para o mesmo dia e hora:

CBF marca jogos das séries B e C para o mesmo dia e hora
Confederação levou jogo entre ABC e Vitória para o Amigão, às 16h20 do sábado. No mesmo dia, às 16h, jogariam Campinense e Guarany


No momento, os técnicos envolvidos na elaboração deste algoritmo complexo estão trabalhando na Tabela da Copa.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Resultado do ENEM

A Folha disponibilizou um mecanismo muito eficiente para a análise do desempenho das escolas no ENEM. (AQUI)

sábado, 10 de setembro de 2011

Parabéns

O pessoal do Grupo de Estudos em Economia Social está marcando presença no Encontro Nacional de Economia da ANPEC (AQUI).

É fato que os trabalhos são frutos de esforços anteriores à existência do Grupo, mas vale destacar.

Estarão no encontro:

Gabriela Bezerra;
Edilean Kleber;
Fernanda Leite Santana;
Herbert Rego;
Erik Figueiredo;
Cleiton Roberto.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

O índice de Corrado Gini


Me atrevo a dizer que, afora os indicadores de estatística descritiva, em especial a média, o índice de Gini é uma das medidas mais conhecidas entre as pessoas em geral. Este indicador permite, por exemplo, uma comparação simples dos níveis de bem-estar social das nações (AQUI).

Seu desenvolvimento se deveu ao estatístico e sociólogo italiano Corrado Gini (23/05/1884 – 13/03/1965). Gini foi pioneiro ao propor a análise de fenômenos sociais a partir de quantificações estatísticas. Ou seja, de certa forma, ele foi um dos precursores do campo da economia aplicada.

Outra curiosidade reside em sua contribuição para a base do ideal Facista. Seu artigo "The Scientific Basis of Fascism", publicado na "Political Science Quarterly" em 1927 é considerado um marco para a adoção deste regime autoritário na Itália.

Vejam um pouco desta história em:

CORRADO GINI AND ITALIAN STATISTICS UNDER FASCISM

GIOVANNI FAVERO
Università Ca’ Foscari di Venezia
Dipartimento di Scienze Economiche


P.S.: Agradeço a Amanda Lemos pela dica.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Reedição do post: Luiz Couto, o deputado petista diferenciado


O deputado federal paraibano Luiz Couto-PT é uma figura ímpar!
Ao mesmo tempo que ficou indignado com a impunidade dos "esquadrões da morte" (vídeo AQUI), defendeu a permanência do Cesare Batistti (vídeo AQUI).



É ou não é um político "diferenciado"?

Entendam o caso AQUI.


Atualização: Agora o Luiz Couto diz que a "Regulação da mídia é fundamental para a democracia".

Leitura do dia

Lower and Upper Bounds of Unfair Inequality: Theory and Evidence for Germany and the US

Judith Niehues
SOCLIFE, University of Cologne and IZA
Andreas Peichl
IZA, University of Cologne (FiFo), ISER and CESifo

Previous estimates of unfair inequality of opportunity (IOp) are only lower bounds because of the unobservability of the full set of endowed circumstances beyond the sphere of individual responsibility. In this paper, we suggest a new estimator based on a fixed effects panel model which additionally allows identifying an upper bound. We illustrate our approach by
comparing Germany and the US based on harmonized micro data. We find significant and
robust differences between lower and upper bound estimates – both for gross and net
earnings based either on periodical or permanent income – for both countries. We discuss
the cross-country differences and similarities in IOp in the light of di¤erences in social
mobility and persistence.

Divulgando

Na próxima sexta-feira, dia 09/09 às 14:00 hs, participarei de uma banca de dissertação no PPECO da UFRN, Natal:

A ELASTICIDADE DA POBREZA EM RELAÇÃO AO CRESCIMENTO E À DESIGUALDADE NO NORDESTE RURAL BRASILEIRO, DE 1995 A 2009: uma análise comparativa
Elinete Luisa Lopes

Em seguida, às 16:00 hs, apresento um seminário sobre:

Justiça e Redistribuição: o Caso dos Países Latino Americanos

domingo, 4 de setembro de 2011

Novas compras

Fighting Poverty in the US and Europe: A World of Difference

Alberto Alesina & Edward Glaeser.



In this this timely study of the different approaches of America and Europe to the problems of domestic inequality and poverty, the authors describe just how different the two continents are in the level of State engagement in the redistribution of income. They discuss various possible economic explanations for the difference, including different levels of pre-tax income, openness, and social mobility; they survey politico-historical differences such as the varying physical size of nations, their electoral and legal systems, and the character of their political parties, as well as their experiences of war; and they examine sociological explanations which include different attitudes to the poor and notions of social responsibility, as well as, most importantly, attitudes to race.

sábado, 3 de setembro de 2011

Notas

O Cientista homenageado mudou. Cliquem na Figura e conheçam um pouco da sua história.

Estou saindo para descansar no final de semana. Se quiserem me encontrar, mandem mensagens para ESTE LOCAL.



Pesquisa no Brasil

David Bousfield, professor da Universidade de Cambridge, identifica as principais limitações da pesquisa biomédica brasileira. Seu relato baseia-se em sua experiência própria como pesquisador visitante no Brasil:

Identifying reasons for failure in biomedical research and publishing

The regular assessment of Brazilian scientific output means that individual university departments need to constantly improve the quantity and quality of their scientific output. A significant proportion of this output involves the work of Master’s and Doctoral
students, but getting this work published in a suitable journal can often prove to be a challenge. Although students’ lack of fluency in English is a contributing factor, many of the problems observed have an early origin in the formulation of the research
problem and its relevance to current research trends in the international literature. In short, more time needs to be spent in the library and less in the laboratory, and more effort needs to be made in teaching students basic research skills such as the effective use of bibliographic databases like PubMed, Web of Science and Scopus.

O pesquisador deixa 10 dicas para os coordenadores de pós-graduações. Destaco as que considero mais relevantes:

1. A Pesquisa começa, continua e termina na biblioteca (virtual). [Comentário: nossos alunos conseguem identificar a área de atuação, situando-a na literatura internacional?];

2. Forneça apoio para a melhora da leitura e escrita em Inglês (e Português). [Comentário: É incrível que o autor recomende a leitura em português. Ou seja, nosso problema não é a segunda língua e sim a primeira];

3. Torne o registro acadêmico (publicações, períodos recentes, etc.) dos professores mais visível. [Comentário: O objetivo é que os alunos possam se espelhar e escolher o orientador de forma mais eficiente. Em outras palavras, deve-se dar valor a quem produz];

4. Melhore a elaboração do projeto. [Comentário: Este ponto é muito importante! A defesa de projetos é vista como mais uma formalidade. Geralmente não há muita exigência em relação a este tópico. Se houver um maior rigor nesta etapa, aumentam as chances de uma boa tese];

5. Todos os projetos devem ser revisados (acompanhados) em intervalos de tempo regular. Ele deve ser subdividido em módulos, de modo que o trabalho possa ser monitorado de forma mais contínua. [Comentário: Se enquadra no comentário anterior];

6. A criação de uma tese parece contraproducente. Elas são necessárias? [Comentário: Escrever uma tese longa e cheia de formalidades não garantirá a sua publicação. Uma dissertação, por exemplo, poderia ser um artigo publicado];

7. Cursos sobre metodologia científica e publicação devem ser incluídos como uma disciplina obrigatória. [Comentário: Concordo! Mas o que se ensina nestes cursos? Normas da ABNT? Certamente não!];

8. Mais esforço deve ser dirigido no estabelecimento de períodos de treinamento no exterior. [Comentário: Isto serve para os professores, inclusive. Uma experiencia internacional ou o contato com pesquisadores estrangeiros seria um bom caminho].


Embora o artigo trate da pesquisa em Biomédica, seus conselhos servem, e muito, para a área de Sociais Aplicadas. vale a leitura!

P.S.: Dica do professor Valdemiro Júnior.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Redistribuição e Justiça na América Latina

As políticas redistributivas possuem impacto sobre a desigualdade?
Para os países desenvolvidos, sim. Nos países latino americanos, não. Pelo menos é isso que o gráfico Latin American Economic Outlook 2009, informa:


Notem que a diferença entre o Gini pre e pos taxação é praticamente nula para a Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, México e Peru (Gini pretax, em azul, e postax, em cinza). De acordo com Goñi et al. (2008) (AQUI), a explicação reside, principalmente, na tributação regressiva destes países.

Diante destas evidências questiono: qual seria o impacto das políticas de redistribuição sobre os nível de justiça, responsibility-sensitive, destes países? A resposta é fornecida na Tabela abaixo:


Utilizando um índice de entropias para mensurar a distância entre as rendas pretax e postax e as suas respectivas normas de justiça (O que é uma norma de justiça? Vejam AQUI. Qual é o índice de entropia utilizado? Vejam AQUI), observo que, apesar da taxação diminuir a distância entre a renda observada e a renda justa, este movimento não é estatisticamente significativo.

E de quem é a culpa? Bem, meus resultados sugerem que o sistema de tributação contribui em duas frentes: desestimulando o mérito a partir de uma taxação excessiva sobre as variáveis individuais de esforço e; não equalizando as circunstâncias, de modo que um indivíduo com circunstâncias desfavoráveis (raça, sexo, região de nascimento, background familiar, etc) é taxado de forma similar aos demais (querem entender o modelo, vejam AQUI).

O resultado é que nosso desenho fiscal faz com que a medida de injustiça brasileira seja quase três vezes superior a dos EUA.


Interessados? O Working paper sai em breve.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Dúvida

Porque todo comunista acha que está do lado do povo?

Ziraldo bate boca com manifestantes na Bienal

Um dos professores reclamou com Ziraldo por sua participação na cerimônia e por ele receber indenização do governo por ter sido perseguido durante a ditadura militar. Nesse momento, Ziraldo se exaltou, xingou o manifestante e partiu para cima dele, sendo contido pelas pessoas que o acompanhavam. "Eu sempre estive do lado de vocês", gritava o autor.

Premiação

Doutoranda do PPGE/UFPB é 1ª lugar no Prêmio Brasil de Economia:

A doutoranda e professora do Departamento de Economia da UFPB, Shirley Pereira de Mesquita, conquistou o 1ª lugar no XVII Prêmio Brasil de Economia, na categoria Dissertação. A aluna receberá um prêmio de R$5.000,00 e bolsa de pesquisa no IPEA por um ano. Parabenizamos, também, o orientador de dissertação, professor Dr. Hilton Martins de Brito Ramalho, cuja contribuição foi essencial para o desenvolvimento do trabalho vencedor intitulado: "Migração Familiar e Trabalho Infantil no Brasil Urbano". (Via site do PPGE)



Brazilian Journal of Probability and Statistics - 25th Anniversary Issue

O Brazilian Journal of Probability and Statistics lança a edição comemorativa de seus 25 anos:

Preface
Silvia L. P. Ferrari, Francisco Cribari-Neto and Nancy L. Garcia; 237-238

Additive models for quantile regression: Model selection and confidence bandaids
Roger Koenker; 239-262

Dispersion models for geometric sums
Bent Jørgensen and Célestin C. Kokonendji; 263-293

Stationary infinitely divisible processes
Ole E. Barndorff-Nielsen; 294-322

Limit theorems for empirical Fréchet means of independent and non-identically distributed manifold-valued random variables
Wilfrid S. Kendall and Huiling Le; 323-352

On default priors and approximate location models
D. A. S. Fraser and N. Reid; 353-361

Prediction-based estimating functions: Review and new developments
Michael Sørensen; 362-391

Local linear suppression for wireless sensor network data
Kristian Lum and Alan E. Gelfand; 392-405

Hierarchical wavelet modelling of environmental sensor data
Yann Ruffieux and A. C. Davison; 406-420

Modelling particles moving in a potential field with pairwise interactions and an application
D. R. Brillinger, H. K. Preisler and M. J. Wisdom; 421-436

On improved estimation for importance sampling
David Firth; 437-443

Contiguity and irreconcilable nonstandard asymptotics of statistical tests
Pranab K. Sen and Antonio C. Pedroso-de-Lima; 444-470