sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Mais um

Obtive mais uma aceitação:

Mensurando os níveis de justiça no sistema de redistribuição de renda da América Latina
Erik Alencar de Figueiredo
Valdemiro Severiano Junior


No mais, recebi dois pareceres favoráveis da Pesquisa e Planejamento Econômico. O artigo "Desigualdade de Oportunidades no Brasil: Uma Decomposição Quantílica Contrafactual", feito em (mais uma) parceria com o Cleiton Roberto Silva, necessitará de uma boa revisão, mas creio que ele será publicado em breve. (Uma versão preliminar do paper pode ser acessada AQUI).

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Momento cultural

Minha próxima empreitada é resgatar a história do Cantor Raimundo Soldado.



Seguem alguns links. O primeiro é de um blog que conta um pouco da sua trajetória (AQUI). A Enciclopédia do Nordeste também abre espaço para o Raimundo (AQUI). Para ouvir um pouco da sua música, clique AQUI.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O ano não acabou!

Fiz a previsão de fechar a última versão de um artigo e revisar o artigo aceito parcialmente na Economia Aplicada até o final do ano. Já cumpri as duas metas. Nesse meio tempo, revisei o artigo que sairá na próxima Economia & Tecnologia.

Dado que estou com gás, vou colocar outros projetos para andar. No mais, acho que vem um parecer da PPE por aí ...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Universidade, o templo do conhecimento

Pronto, chegamos ao fundo do poço:

Professor diz ter sido agredido por marido de aluna reprovada na UFPB

O professor Leonardo Rosa Rhode é um colega do Departamento de Administração. Pelo que pouco que sei, ele é um profissional sério e comprometido com a instituição. O interessante é que, justamente por isso, é que ele foi agredido.

A Universidade, na figura de seu Reitor, deveria parar de pensar em processos eleitorais dentro e, principalmente, fora do campus (sim, aqui há uma candidato do vinculado ao PT, outro a PSB e por aí vai), para refletir sobre as condições de ensino, pesquisa e, pasmem, segurança.

Vocês já me viram (leram), falando absurdos, coisas politicamente incorretas e tudo mais aqui no blog. Mas saibam que nunca escrevi um post sob tamanha indignação.

Um time de craques

Enquanto a maioria do povo brasileiro ressalta a escalação da Seleção Brasileira de Futebol da Copa de 1970, eu prefiro destacar os craques desta foto:


Dica do Professor André Gustavo, via Facebook.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Dica de leitura

Brazilian Review of Econometrics - Special Volume in Honor of Ricardo Paes de Barros

No texto de abertura, James Heckman, prêmio Nobel de Economia em 2000, destaca:

I have known Ricardo for
almost 30 years, starting with his entry as a student into the Ph.D. program in economics at
the University of Chicago [...] First impressions can be deceptive. In the case of Ricardo Paes de Barros, they are not. Any new acquaintance rapidly learns his intelligence, his sincerity, his clarity of mind, and his sense of purpose. [...]

Dica do Laurini.

P.S.: Este é o mesmo Ricardo Paes de Barros que a atual diretoria do IPEA queria afastar?

Merit and justice

Por que a sociedade brasileira não possui uma visão bem construída sobre o papel do mérito no resultado econômico? Talvez este texto do Amartya Sen ajude a entender:

The rewarding of merit and the very concept of merit itself depend
on the way we see a good society and the criteria we invoke to assess
the successes and failures of societies. The « incentive view » of merit
competes with the view of merit based on « action propriety ». The
presence of inequality and others drawbacks can lead to some psychological
tension, especially since the rewarding of merit is not directly
valued under the incentive approach. Even though the incentive-based
argument for rewarding merit tends to be, in principle, accepted as the
main justification for such a reward system, the main interpretations of
the meritocracy are unnecessary and inconsistent with the incentive
approach. The common additional features include: (1) confounding
merit of actions with that of persons (and possibly of groups of
people), (2) overlooking the instrumental nature of the incentive
argument and seeing the rewards of merit as intrinsic entitlements or
deserts, and (3) ad hoc exclusion of distributional concerns from the
objective function in terms of which merit is characterized.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Top ten

No Brasil as Universidades não se destacam por sua excelência no ensino ou na pesquisa, mas se tivéssemos um ranking mundial de corrupção no ensino superior ...

Gestores de universidades federais são alvos de inquéritos


seríamos top ten!

sábado, 3 de dezembro de 2011

A polarização nos municípios

O que eu falei em relação aos Estados (post abaixo), pode ser aplicado aos municípios?
Tirem as suas conclusões:

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

A polarização da renda no Brasil

Um relatório recente do IPEA alardeou a redução do índice de Gini entre os municípios. E mais, eles destacaram que as maiores quedas foram registradas nas regiões mais pobres do país, Norte e Nordeste, e, em especial, no estado da Paraíba.

Dito isto, vejam estas figuras e depois eu as comento.



O que elas informam? Elas sintetizam a evolução das rendas per capita estaduais não ponderadas e ponderadas pela população (vocês acham que São Paulo e Sergipe devem ser tratadas de forma similar na amostra?).

Pois bem, a Figura 1 mostra que de 1991 a 2007 a densidade está convergindo para uma bimodal. A Figura 2, onde as rendas são ponderadas pela população, reforçam a tendência (na verdade a acentua).

Ou seja, mesmo sem um cálculo específico, posso afirmar que houve um aumento na polarização. Em outras palavras, os estados ricos estão se distanciando dos estados pobres.

Vejamos o fenômeno da polarização mais de perto: a polarização, no sentido de Esteban e Ray, baseia-se na identificação e na alienação. Imaginemos uma bimodal, quando mais homogêneo for cada grupo (menor desigualdade intra grupos) e quanto maior for a alienação (desigualdade entre grupos), maior o polarização. Note que a menor desigualdade intra grupos reduzirá a variância da distribuição bimodal. Logo, é perfeitamente possível que haja uma redução no Gini e um aumento na polarização.

É isto que acontece com os dados Estaduais. As rendas não poderadas apresentam uma desigualdade de 0.2988, em 1991, e de 0.2886, em 2007. E os dados municipais? Meus resultados preliminares indicam que o comportamento é similar.

Concluindo: IPEA, uma redução nos Ginis dos municípios pode significar que os municípios pobres estão cada vez mais parecidos e relativamente mais distantes dos municípios ricos. Menos fogos de artifício, tá?

P.S.1: A partir do ano que vem o Grupo de Estudos em Economia Social divulgará relatórios relacionados à realidade socioeconômica do Nordeste e, em particular, da Paraíba. Tudo feito com moderação.

P.S.2: Estes resultados são fruto de um esforço conjunto com o Professor Sabino Porto Junior.

O roubo (entre outras coisas), acima da lei

Então quer dizer que se eu me enquadrar nesta categoria:

(...) as pessoas que vivem no cimo preponderante das normas e princípios constitucionais e que, por isso, rompendo com o estereótipo da alienação, e alimentados de esperança, insistem em colocar o seu ousio e a sua juventude a serviço da alteridade, da democracia e do império dos direitos fundamentais.

eu posso ficar um andar acima da lei?

Se sim, o cidadão que roubou a antena do meu carro, no estacionamento do departamento de direito da UFPB, pode não se preso, mesmo se pego em flagrante.

Para isso, basta que ele seja um jovem com uma vasta cabeleira, um cigarro de maconha na boca, uma camisa do Che Guevara e uma mente repleta de 'revolução'.

O que me deixa indignado é saber que os juízes que escreveram estas asneiras são pagos com suor do meu trabalho (impostos e mais impostos), assim como a educação do bandido que me roubou.

Conselho

[Não cobrar nada por isto, tá?] Se querem beneficiar os estudantes que realmente estudam e que, de fato, necessitam que auxílio financeiro, evitem fazer isto via entidades estudantis:

Denúncias de desvios e tráfico de influência na distribuição de bolsas de estudos da cota do Diretório Central dos Estudantes levaram a direção do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê) a decidir administrar as 396 bolsas de estudos que antes estavam sob o controle do DCE. A decisão é da reitora Ana Flávia Pereira.