quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Como humilhar um brasileiro?

O Brasileiro não se indigna com a corrupção e com a incompetência dos órgãos públicos, tampouco com a violência no trânsito ou com o grande número de criminosos vivendo livremente no meio da sociedade. Contudo, o brasileiro se sente extremamente ofendido se alguém o forçar a seguir regras.

Acabei de passar pelo procedimento de obtenção do visto norte americano e me cansei de ouvir a frase: “isto é uma humilhação!”. Os argumentos para esta indignação são totalmente infundados. No geral, eles se referem a: i) exigência do cumprimento do horário da entrevista; ii) postura contrária e firme diante do nosso tradicional ‘jeitinho’; iii) confirmação de informações relevantes, como renda, local de trabalho e propósito da visita; iv) repreensões relacionadas ao mau comportamento durante a visita na embaixada; v) frieza no trato pessoal.

Evidente que isso é só uma síntese rasteira, mas a questão central é que não posso me comportar na casa dos outros assim como me comporto na minha. Se não é permitida a entrada de celular, não levo o celular. Se marcam a minha entrevista às 10:00 h e pedem para chegar 15 minutos antes, obedeço. Se colocarem placas de aviso relatando os procedimentos e a postura durante a entrevista, eu as leio. Se não concordo com nada disso, nem vou lá.

Em resumo, não fui humilhado por me submeter às regras. Pelo contrário, acho que as coisas funcionam muito melhor com elas. Porém, é duro constatar que o brasileiro não se sente insultado com os desmandos de nosso país, mas vira uma fera se exigirem que ele chegue em um compromisso na hora combinada.

Nenhum comentário: