sexta-feira, 5 de julho de 2013

Venham para rua, pesquisadores

Seguindo a onda de manifestações, lanço algumas reinvindicações para a academia brasileira, em especial a de Economia:

1) Que os editores leiam os papers e adotem a “rejeição de mesa”, evitando, com isso, o envio de textos de baixa qualidade para os pareceristas;

2) Que os pareceristas cumpram o prazo de envio dos julgamentos. Lembrando: o trabalho é voluntário, mas a partir do momento em que se aceita emitir o parecer, se deve cumprir todas as regras estabelecidas pela revista;

3) Que os congressos não adiem os prazos para a submissão dos artigos. Essa postura prejudica quem cumpre as obrigações e ajusta seu ritmo de trabalho para se adequar a data;

4) Que as bancas de congressos sejam formadas, exclusivamente, por pessoas com experiência acadêmica (publicações);

5) Que a CAPES adote uma avaliação mais rígida da produção acadêmica, de preferencia a partir de um ranking de pontuação internacional;

6) Que aqueles que se intitulam professores/pesquisadores cumpram suas obrigações de pesquisa, passando a, por exemplo, fazer comentários em versões previas de artigos e responder solicitações de envio de banco de informações e procedimentos empíricos;

7) Que haja uma maior fiscalização sobra a autenticidade do conteúdo dos currículos Lattes.

Nenhum comentário: